O que é o poder interior?

A palavra poder significa em linguagem comum ter direito, capacidade ou autoridade sobre ou para realizar alguma coisa! Geralmente é entendida como exercer poder sobre algo externo a nós, coisas ou pessoas que nos pertencem ou a nós se submetem, coisas ou pessoas que estão sob o nosso controlo. É portanto remetida para algo que controlamos externamente de acordo com a nossa vontade e que pode causar sofrimento aos outros e a nós próprios.

É interessante como o acrescentar da palavra "interior" muda por completo o significado destas duas palavras colocadas juntas!

Poder interior não podia estar mais longe desta definição, em que projetamos no mundo de fora as nossas inseguranças e o facto de nos sentirmos separados de tudo e de todos, constantemente ameaçados pelo mundo que nos rodeia e do qual o nosso Ego nos tenta incessantemente defender!

Para mim, poder interior significa termos a coragem de viver em total vulnerabilidade, em total aceitação e rendição do momento presente e daquilo que ele nos trás. Significa sermos livres no mais profundo do nosso âmago, totalmente indiferentes ao que os outros pensam de nós, livres das expectativas dos outros e das nossas próprias, livres de julgamento, culpa, vitimização, assumindo o nossa total responsabilidade na criação da nossa vida e sabendo que os verdadeiros mestres se encontram em tudo aquilo que nos desafia, nos trás conflito interno, nos faz sofrer.

Viver com poder interior significa Ser em vez de nos identificarmos com o mundo da forma do Ter e do fazer, significa a liberdade última que nos falta, libertarmos-nos do poder do nosso Ego, que nos mantém enredados no mundo do tempo e da forma, mundo esse que cria a ilusão que algo nos falta, que precisamos de reconhecimento, bens materiais e de segurança!

Quando permitimos que o Ego tome conta, cedemos todo o nosso poder ao mundo externo e permitimos que pessoas e coisas condicionem totalmente tanto a nossa felicidade como a nossa paz interior. Julgamos, criticamos, queixam-nos, queremos mudar os outros, queremos-nos vitimas das circunstancias e do mal dos demais, não compreendendo que estes só espelham o que precisamos reconhecer e aceitar em nós.

Vivemos num mundo perfeito que não compreendemos e que na verdade não temos de compreender, pois compreender é do domínio da mente e a verdadeira sabedoria não pode ser compreendida mas intuída e sentida!

Cremos tantas vezes que Deus é um poder externo e tão magnifico que nos sentimos pequenos e nada, comparado com ele, esquecendo que Deus habita em todas as células do nosso corpo e que todos nós sem excepção nascemos magnificos e somos luz, somos Deus em todo o seu esplendor. Apenas uma parte de nós está encarnada neste corpo físico que vibra ainda numa ressonância baixa e que por isso mesmo nos impede